Cada Um No Seu Quadrado! – Discutindo a Necessidade de Viver Debaixo do Mesmo Teto

Nossos avós já diziam“Quem casa, quer casa.” Mas esse ensinamento das gerações passada não tem se mostrado muito eficaz nos dias de hoje. Será que casamento de verdade implica em dividir o mesmo teto e o mesmo cobertor?  Pra chegar nesse raciocínio, precisamos cavocar mais fundo:

CASAR É PRECISO?

Alguém um dia inventou, que amor se garante com contrato e anel do dedo. E a gente se acostumou tanto com essa ideia, que raramente paramos pra pensar em quão bizarro é esse hábito. É como comprar uma casa, um carro – precisa de assinatura e até de testemunha. Mas, no final das contas, isso garante alguma coisa?

Dá pra entender, que no passado, se não tivesse assinatura e o relacionamento acabasse, não tinha divisão de bens justa. E as mulheres, que geralmente não trabalhavam fora, se davam muito mal nessa história. Mas hoje, com todas as leis que reconhecem  união estável, não é preciso papel passado pra cada um ter seus direitos se o casamento não der certo.

Mas então, porque diabos, continuamos com essa história de contrato mesmo?

 DIVIDIR A PASTA DE DENTE É MUITO AMOR!

Certo. Vamos considerar que o raciocíno acima não te convenceu e você acha super importante selar seu amor com testemunhas, papel passado,  casa e conta conjunta. Ainda vale dar uma questionada nos moldes e imposições que nos fazem pensar que casar e morar em casas separadas é coisa de gente doida.

O ideal de amor romântico que surgiu lá trás e que perdura até os dias de hoje afirma que duas pessoas que se amam devem estar juntas 100% do tempo – o que, digamos de passagem, é uma afronta a nossa sagrada individualidade. Viver muito perto de alguém pode ser sufocante, daí o numero exagerados de divórcios que presenciamos todos os dias.

Uma situação muito comum entre casados ou pessoas que moram juntas: Eles acordam juntos, vão para seus respectivos trabalhos. Ela (ou ele) chega em casa um pouco antes, faz suas coisas e ele logo volta do trabalho. Ela está carente de conversas e quer toda a atenção dele. Ele está com a cabeça cheia de tanta cobrança, a Marginal estava a visão do inferno no quesito trânsito e o que ele mais gostaria de fazer é tomar um banho e ficar quieto, sem escutar ninguém pronunciar seu nome por pelo menos 2 horas. Mas ela quer contar sobre as novidades do trabalho. E fica sentida porque ele não está dando atenção que ela queria. Ela vai ver TV e quer dormir cedo. Ele quer ver mais TV, transar e dormir tarde. Os dois vão dormir insatisfeitos.

Esse é só um exemplo de situação diária que quem vive em dupla tem de enfrentar. E nenhum dos dois é culpado – apenas são duas pessoas diferentes, com gostos e necessidades diferentes. Às vezes o amor é muito sincero, mas as imposições de ter que conviver 100% do tempo com outra pessoa, acabam arruinando tudo. Não dá nem tempo de sentir saudade. É igual quando moramos com nossos irmãos. Podemos amá-los mais que tudo, mas eles sempre vão receber as maiores patadas, porque estão sempre presentes. Só que irmão é irmão pra sempre, já marido ou esposa…

CALMA! TEM SOLUÇÃO PRA TUDO!

Uma alternativa que muitos casais estão adotando é morar em casas separadas. É claro que isso envolve um pouco mais de independência econômica, porque não tem como dividir as contas. E quando entra filhos na jogada, complica mais ainda.

O modelo perfeito na minha visão seria: Vocês moram perto ou muito perto, do tipo cada um em um andar do prédio. Cada um com a sua casa, suas coisas e seu tempo. Podem passar o tempo que quiserem juntos, mas cada um sempre tem pra onde voltar quando bate aquela vontade de ficar sozinho. Se bater a saudade forte, vale combinar – “estou de mudança pra sua cama por um mês”. Dá pra continuar dormindo de conchinha quando quiserem, mas com uma deliciosa diferença – não tem obrigações na jogada.

Além de tudo, tem aquelas adaptações nem sempre prazerosas, que morar junto implica. Você não vai ter mais que sentir arrepios de raiva toda vez que ele fizer a barba e deixar cair pelos no seu piso branquinho. Ou não vai ter que ter sua pia do banheiro dominada por produtos rosas ou ter que ver absorvente embrulhado no lixo uma vez por mês. A gente acha que isso é futilidade, mas essas coisas pequenas também contribuem para o seu saco encher cada vez mais.

Viver em casas separadas proporciona a leveza de estar em um namoro eterno – e dá pra preservar o compromisso, sem abrir mão da liberdade. Mas queira você simpatize com a ideia ou não vale questionar se acredita mesmo nesse modelo enraizado na sociedade ou se só está seguindo o padrão dos seus pais e  avós. A escolha pode custar sua felicidade. E o amor da sua vida.

Quem concorda? Queremos ouvir sua opinião!

Anúncios

62 Comentários (+adicionar seu?)

  1. Chalk Master
    jun 07, 2011 @ 23:32:26

    Cara, acho que se for pra ser assim pra que casar?

    Resposta

  2. Marina
    jun 07, 2011 @ 23:41:57

    e onde fica o respeitar o espaço do outro? nunca vão aprender

    Resposta

  3. Juliana
    jun 07, 2011 @ 23:43:12

    Nao concordo também!
    ou:

    1-ele vai acabar morando mais na sua casa do que na dele, porque vocês sempre vao querer dormir juntos.
    2- ele nao vai poder fazer a barba na sua casa, pra nao suja seu banheiro? E quando você estiver menstruada, vai ter que voltar pra casa pra jogar o absorvente no lixo do seu banheiro?

    Quer casa, tem que morar junto!

    Resposta

  4. Nana
    jun 07, 2011 @ 23:44:31

    Acho que não há regras, cada casal encontra (ou não) um jeito de ser feliz. Eu acho gostoso ter uma casa “nossa”, nossa sala com nossas coisas, as lembranças das nossas viagens (indivuduais e conjuntas), o dia em que fomos até a pqp buscar aquele sofá novo, e cada um coloca um pouquinho de si na casa….Não vejo problema em dividir banheiro etc, acho que a grande questão é dividir as tarefas domésticas. Isso, sim, pode acabar causando um pouco de estresse (porque cada um tem um ritmo, um jeito de fazer…). Outra coisa: é legal cada um ter seu espaço mesmo, para aqueles momentos em que vc quer ficar só com vc, isoladão….Mas vc não precisa de 2 casas para isso, é só não ficar chamando pelo outro o tempo todo, deixá-lo na sala ou no quarto lendo, vendo TV….É assim que vejo a coisa hj: uma casa só, respeitando o espaço e o tempo do outro.
    Beijos!

    Resposta

    • casalsemvergonha
      jun 08, 2011 @ 00:23:24

      Fala Nana,

      Concordo contigo. Mas eu não vejo muitos casais que cosneguem respeitar os espaços tão bem assim. Até porque os imóveis estão ficando cada vez menores, difícil não se cruzar o tempo todo. rs

      Resposta

  5. Italo Andrade
    jun 07, 2011 @ 23:46:42

    È…relamente, concordo com o comentário acima…
    Se for pra viver dessa forma não tem porque casar. O Casamento em sí implica nessa mudança, onde os dois deixam a casa dos pais e passam a viver juntos. O que não concordo é o fato de casamento ter que assinar documentos, ter testemunhas e usar uma aliança, isso para mim não prova nada. O casamento vai muito além disso.
    Acredito que morar com a outra pessoa é fundamental em um casamento, seja ele de papel passado, aliança no dedo ou não.

    Resposta

    • casalsemvergonha
      jun 08, 2011 @ 00:24:54

      Fala Italo,

      Mas e o monte de divórcios que vemos por ai? Casais que eram apaixonadíssimos mas que, depois de algum tempo de casado, não suportam mais se olharem. Será que não tem algo errado nessa quase “imposição” de que quem casa tem que viver junto?

      Resposta

      • Kamis
        jun 08, 2011 @ 03:46:22

        Ah, nao, para tudo! Gente, voces nao podem colocar a culpa do divorcio no fato de morarem juntos!!!! E o tanto de casais de namorados que se “divorciam”?! o0
        E outra, ja pensaram que o mes que passarem dormindo de conchinha vai implicar em coisas particulares espalhadas pela casa do anfitriao?!
        Na boa, acho que falta muita reflexao ai…

  6. Karla
    jun 07, 2011 @ 23:47:09

    Olha tb penso assim como Chalk! pra que casar então? Casamento é arte de conviver e aprender a cada dia, onde o amor vai se trasformando e pode sim um dia acabar ou não! mas, dessa forma de “cada um no seu quadrado” parece q ambos tem medo de se comprometer, de assumir riscos! e isso é um namoro e não um casamento. Bueno! é a minha opinião

    Resposta

  7. Carina
    jun 07, 2011 @ 23:49:23

    …achei menos polêmico do que vocês anunciaram, no twitter. Uma visão neutra do tema! Ainda assim, não concordo. É uma delícia ter sua individualidade, mas quem realmente preza isso e quer entrar em um relacionamento sério, do tipo ‘casamento’, tem que ter deixado isso claro. Assim, morando na mesma casa ou não, você terá o seu espaço.

    Casar e morar em casas separadas é a descrição típica de um namoro. E se a pessoa só quer ‘namorar’, por mais sério que isso seja, não ‘casa’, oras!

    Mesmo porque, formar família implica em ‘responsabilidade conjunta’. Imagina o gasto de manter DUAS CASAS? E não estou falando dessa responsabilidade para apenas uma pessoa, mas supondo que cada um mantenha sua própria casa. E como vocês lembraram, a situação fica mais complicada se o casal decide ter filhos. Vão ter todo o aparato para bebês e crianças nas duas casas? Muito complexo.

    Casar é um passo muito importante e ‘difícil’ na vida de duas pessoas. Se você não está preparado para encarar isso, ou quer ser ‘individual’ para sempre, de verdade: o ‘casamento’, no contexto da palavra, não é pra você. Se você ama alguém, fica só com essa pessoa, mas não partilha, literalmente, sua vida com ela, isso será ‘apenas’ um eterno namoro! E não tem nada de errado nisso. Mas… casamento é que não é.

    Resposta

  8. Leonardo Aguiar
    jun 07, 2011 @ 23:52:23

    Quem já morou sozinho entende como é bom ter o próprio espaço, sua própria rotina e a sua liberdade. E quando se casa pode sentir falta disso e estragar o próprio casamento.

    Eu já morei sozinho, sei bem como é o gostinho da liberdade, mesmo assim, não abro mal do casamento tradicional (morar na mesma casa que minha esposa).

    Eu gosto de acordar e vê-la do meu lado, gosto de ir dormir e ela estar lá para eu agarrar.

    Talvez aceitasse morar na mesma casa e dormir em quartos separados, mas sei lá, tenho a impressão que invadiria o quarto dela com tanta frequência que acabaríamos dormindo sempre juntos.

    Resposta

  9. Chalk Master
    jun 07, 2011 @ 23:54:38

    Eu fui casado por 8 anos, e tenho dois filhos (os quais moram comigo), e te falo, que com certeza um relacionamento “casado morando em casas separadas” não daria certo mesmo. Iria muito mais atrapalhar do que ajudar, acredite.

    Sem falar em uma série de problemas no qual o maior deles é o orçamento, se os dois trabalhando e dividindo as contas é um custo conciliar Moradia, educação, lazer, etc… imagina tendo duas casa… mesmo que os dois herdassem a casa e não pagassem aluguel nem prestação, o problema é gigante…

    No final das contas, tenho certeza que os dois passariam 90% do tempo na mesma casa (seja em qual for) e só iriam cada um pro seu canto na hora da briga (o famoso dormir no sofa), não vejo o menor ganho nisso…

    Sem falar que isto é outra coisa, e não casamento.

    Resposta

  10. Chalk Master
    jun 07, 2011 @ 23:57:30

    Sem falar que… se um ou os dois membros da relação não conseguem respeitar individualidades morando juntos, não vai ser o fato de estarem afastados fisicamente por alguns metros ou kms que vai fazer com que o outro respeite… acho que esperar isso é uma ilusão…

    Resposta

  11. Rebecca Agra
    jun 07, 2011 @ 23:58:20

    Acho necessário se houver criança, acho que a convivência em família importante na criação dos filhos. Senão fica como o casal melhor decidir, cada caso é um caso.

    Resposta

  12. Karla
    jun 07, 2011 @ 23:59:30

    vivemos correndo tanto, passamos a maior parte do tempo em que estamos trabalhando assumido responsabilidades que quando chega a “vida real ” (fora do escritório) a ultima coisa q queremos é comprometimento/responsabilidade, e sim queremos PAZ! e talvez por isso essa idéia d casas separadas. q pra mim é medo de compromisso, pois casamento é coisa séria e quem já casou 1x sabe como é, logo…vai demorar a casar de novo e isso é fato! Casas separadas nada mais é do q um namoro! logo…pra q casar, então?

    Resposta

  13. Helen
    jun 08, 2011 @ 00:03:10

    Concordo com a Carina! E na minha opinião as pessoas ja estão individualistas demais. Eu particularmente nao me importo em dividir espaço e minhas coisas, e não me encomoda os costumes do meu namorado. Ja estamos namorando há dois anos e percebemos que queremos mais que isso. Mas que fique bem claro NÓS DOIS QUEREMOS CASAR e isso é fundamental para um relacionamento dar certo.

    Resposta

  14. F.
    jun 08, 2011 @ 00:03:21

    Concordo em parte com tudo..
    Casamento nao é tão esse bicho-de-7-cabeças não.. O ato de casar vem da celebração da união, e pq não celebrar??!?!
    Quanto cada um ter seu espaço, acho fundamental. Mas não há aquela necessidade de ser em duas habitações diferentes né. O meu ideal de casa é aquela na qual o quarto do casal é apenas uma cama: de lá existe acesso lateral aos ambientes pessoais de cada casal: cada um com seu quarto, seu banheiro, seu cantinho.. Eles se juntam para dormir, ou não..
    O resto da casa é mútuo, ainda dando o aspecto de lar conjunto, que apesar dos pesares, eh gostoso…

    Resposta

  15. danielen
    jun 08, 2011 @ 00:23:15

    Casar é fundamental para determinar o regime de bens! Facilita muito na hora do divórcio, morte ou anulação do casamento.
    Onde morar é irrelevante, cada casal sabe de suas necessidades, mas pelo bem da justiça brasileira, casem de papel passado, assim fica mais fácil, tudo fica mais fácil, ao menos aos olhos da lei, dos advogados e dos juízes de família!

    Resposta

  16. Rafa B.
    jun 08, 2011 @ 01:00:37

    Postar em um blog a sua visão de vida perfeita é fácil, agora eu pergunto, vocês, o casal sem vergonha, mora separado? se casaram com igreja, papel e tudo mais??

    Resposta

    • casalsemvergonha
      jun 08, 2011 @ 06:16:14

      Oi Rafa,

      A gente mora em casas separadas e não somos casados, apenas namorados. Mas nós dois acreditamos mais nesse sistema de cada um ter seu canto e juntar quando der na telha.

      Beijos

      Resposta

  17. Bruna Branco
    jun 08, 2011 @ 01:56:40

    Nossa!!! Vocês traduziram todos meus pensamentos a respeito do casamenteo… Aprendi isso mais na prática, doq ue nas idéias… Inventei de morar com um ex na época do “só love” e acabou tão feio, que hoje somos pessoas que nem se falar se falam… Com O namorado atual, (por ele tb já ter vivido uma situação parecida). fazemos planos sim, de ficarmos juntos até daqui um futuro bem distante e tal, mas tão distante, que queremos 1° termo os dois uma vida financeira mais estável e melhor, para cada um ter sua casinha e conseguirmos perdurar por mais tempo a nossa relação… Só que que nem foi abordado, tem a questão econômica, dos filhos e pararara… Não é um solução simples…. Mas também, desde quando relacionamento é um questão simples né?!!! Mas foi muito bom ler sobre isso e ainda por cima me identificar com os questionamentos propostos!

    Resposta

    • casalsemvergonha
      jun 08, 2011 @ 06:14:58

      Boa Bruna! Nós também não temos a resposta, mas vale a pena considerarmos uma outra possibilidade que não a imposta pelo sistema. Cada um faz sua escolha a partir daí.

      Beijos

      Resposta

      • Thiago
        jun 12, 2011 @ 02:52:48

        Fala Sério, vocês estão falando de convivência, como um “namorico” qualquer.
        Casar é você brigar e ter que passar a noite com ela na mesma cama, é enfrentar situações juntos, lado a lado, não me venham falar que fazem isso em casas separadas, cresçam um pouco, adquiram um pouco mais de experiência, tenham filhos e depois voltem a falar.

  18. Brenda
    jun 08, 2011 @ 02:15:27

    Eu achei esse post desnecessário…
    Claro que entendo quem deseja individualidade, paz, sossego e blá blá.
    Mas acho que os “benefícios” são muito mais numerosos do que os males.
    Morar junto não é uma coisa negativa, a não ser que seja um casal cujo os dois possuem um gênio infernal e não respeitam a liberdade um do outro, rs.

    Resposta

  19. Claudia
    jun 08, 2011 @ 03:57:37

    Essa é uma escolha extremamente pessoal. Morar juntou não é uma decisão que vai partir do casal, e se assim serão mais felizes, ótimo. Pessoas extremamente individualistas, egoístas, cheias de manias, intolerantes e impacientes terão muita dificuldade em dividir um lar. Mas, ainda assim, a pessoa pode preferir acordar e dormir com a pessoa amada ao seu lado todos os dias, ainda que ambas, invariavelmente, estejam chateadas uma com a outra. E, assim poderão, inclusive ter a possibilidade de tentar melhorar, de evoluir espiritualmente, deixando defeitos para trás. O fato de existirem pequenos empecillhos diários à convivência não significa a decretação do fim do casamento. Casar é uma opção, morar junto é uma opção, o conceito de família mudou bastante, mas, apesar disso, nenhum desses fatores conseguiu decretar o atestado de óbito do casamento e de morar junto. Pois o diálogo, que é a principal ferramenta de absolutamente qualquer relacionamento (fraternais, amorosos…), sempre vencerá qualquer obstáculo imposto ao casamento ou a morada dividida.

    Resposta

    • casalsemvergonha
      jun 08, 2011 @ 06:13:31

      Fala Claudia,

      Com certeza essa é uma escolha pessoal. Só estamos aqui querendo refletir sobre uma possibilidade com a qual não estamos acostumados.
      E qual o problema em ser individualista? Individualismo, como disse em outro comentário, é uma característica extremamente positiva e que não pode ser confundida com egoísmo ou descaso com os outros.

      Beijos

      Resposta

  20. Kamis
    jun 08, 2011 @ 04:00:58

    Alguem falou ai e eu concordo: casar e celebrar!
    Existem momentos na vida que o minimo que podemos fazer e celebrar. Sao ritos de passagem e mesmo quem diz nao se importar, vai ter uma lembranca eterna!
    Compartilhar com os queridos um momento bacana e fantastico! Une ainda mais o casal, da conforto, confianca! E quanto a parte juridica, que infelizmente ninguem pensa, de fato agiliza e muito a vida de nos, mortais, quando nos deparamos com situacoes inusitadas da vida.
    Nao acho que de pra pensar so no “papel”. Se fosse assim voce passaria anos na faculdade e nao faria questao do diploma, ja que detem o conhecimento… Ou compraria uma casa mas nao faria um contrato, ja que ja esta morando la, mesmo… Pensar na questao juridica da coisa e tao importante quanto qualquer outra colocacao.
    E obvio que existem modelos que se enquadram pra alguns e nao pra outros, morar em casas separadas e um exemplo, entretanto, eu acredito que quando voce gosta realmente, o aprendizado da convivencia supera qualquer dificuldade com relacao a individualidade. Daqui a pouco vai ter um post falando sobre a vida social… “vivam em suas casas e se comuniquem on line, assim, quando nao quiserem e so apertar o botaozinho OFF”… Individualidade e uma coisa, isolamento e outra.
    Respeito e a palavra chave!

    Resposta

    • casalsemvergonha
      jun 08, 2011 @ 06:10:56

      Fala Kamis,

      Acho celebrações super saudáveis, mas celebrar não significa ter que oficializar tudo com contrato. Esses exemplos que você deu sobre faculdade, carro etc são coisas materiais ou propriedades. Agora é estranho pensar que o amor tenha que ser garantido por contrato.
      Também acho delicioso ficar juntinho, dividir as coisas, compartilhar etc etc, mas pelo que tenho observado, a longo prazo, essa convivência exagerada acaba sendo, direta ou indiretamente, a causa das separações. E morar em casas separadas não significa se isolar e sim, como você disse, manter a individualidade. As pessoas hoje em dia tem uma imagem distorcida do que é ser individualista – não há nada errada em ser individualista. Individualisto é muito confundido com egoísmo ou descaso pelos outros, mas esses são conceitos diferentes. Individualismo faz parte do nosso crescimento emocional – quando você percebe que pode ser um indivíduo completo e não uma metade, começa a conseguir relações de mais qualidade.

      Mas eu também não posso afirmar categoricamente que morar em casas separadas seja a solução porque nunca testei nenhuma das duas possibilidades. É só um ponto de vista para refletirmos.

      Um beijo,

      Jaque.

      Resposta

      • Lisa
        jun 08, 2011 @ 16:22:24

        Vamos ver… eu nunca casei ou morei junto. Mas acho que casamento é morar junto, na mesma casa, sob o mesmo teto, etc. Se o casal puder ter a possibilidade de ter um canto de cada um (escritório, saleta, garagem, etc) para suas próprias coisas, seria excelente. Mas é como muitos já disseram, casamento é isso. Morar cada um em um canto não é casamento. Respeito tem que se ter pelo outro em qualquer tipo de relacionamento.
        Entendo quando vocês questionam o ato burocrático do casamento, mas, aí, acho que posso dizer que vocês estão sendo ainda mais utópicos e idealistas do que o romantismo do casamento.
        A burocracia não é à toa. A papelada é necessária para vc provar quem tem direito a que na hora do divórcio, da morte. Por que os homossexuais querem ser reconhecidos como um casal? Por causa de herança, pensão, essas coisas.
        Até porque eu posso morar junto com um amigo e ele não ser meu “companheiro” e, portanto, não ter direito a coisa alguma, caso algo aconteça comigo. É tudo isso que a burocracia tenta resolver.
        Não sei se vocês viram uma reportagem sobre não ter a necessidade de morar junto para provar a união estável, o que aconteceu: uma mulher quando terminou o namoro, se viu com um processo porque o cara queria pensão dela pela “união estável”. Já pensou ter que dividir bens ou pagar pensão toda vez que se termina um namoro?
        E não adianta falar que isso é coisa de gente mesquinha e nunca vai acontecer contigo. Quando se está bem com uma pessoa, ninguém liga para o material, quando se briga…

  21. Ana
    jun 08, 2011 @ 04:01:23

    Gente, adorei a matéria e toda a polêmica criada! E me lembrou sobre uma questão que eu estou vivendo atualmente, e acredito que o casal do blog tbm. Atualmente namoro e trabalho com o meu namorado, ou seja, vejo ele todos os dias e fico do lado dele o dia inteiro! Por um lado é bom, mas existem várias outras coisas ruins tbm e tenho medo desse excesso de companhia acabar ‘sufocando’ nossa relação.. isso acontece com algum outro leitor(a) e com a equipe do blog? Talvez seria interessante fazer uma matéria e uma pesquisa sobre esse assunto, e as alternativas criadas para que tanto convivio não acabe estragando a relação! Gostaria de dicas, algm pode me ajudar? Qq vcs acham? Super beijo!

    Resposta

  22. Luana Lumertz
    jun 08, 2011 @ 04:05:19

    Estou namorando faz 3 anos e no momento, se eu pudesse, moraria junto com o meu namorado. Claro que viriam todas essas situações citadas no texto, mas talvez com isso eu já não tivesse acessos de necessidade de atenção a semana toda. Eu passo mal, fico ansiosa, fico querendo ver ele e chega final de semana mal consigo pensar em outras coisas a não ser gastar meu tempo junto com ele e isso é horrível. Creio que ao morar juntos a maior dificuldade é respeitar as diferenças e achar um tempo pra si… e agora estou na duvida novamente: morar ou não juntos. Não sei se daria certo, porém preciso mais do que visitas aos finais de semana,mas infelizmente ainda dependo financeiramente da minha mãe e ele dos pais dele.

    Resposta

  23. Margareth
    jun 08, 2011 @ 06:59:57

    Ao iniciar o relacionamento namoro, de fato surge planos, estratégias, filosofias e outros fenômenos. Cabe ao casal decidir um método no qual seja melhor para eles, realmente existem casais que são revolucionários, querer quebrar os modos tradicionais e procuram viver de adrenalina querendo saltar no mundo irreal ou real, quem sabe.
    Segundo o Casal sem Vergonha citou, ” Mas e o monte de divórcios que vemos por ai?”, isso é como um jogo, ninguém saberá o resultado enquanto não iniciar a partida, ou seja, temos 50% de manter o casamento ou divorciar, não especificadamente seja por vivenciarem juntos, tem any fatores para que seja desvinculado um matrimônio. Agora, se vocês CASAL sem VERGONHA têm vontade de adquirir este “SISTEMA”, é a hora.
    Quem sabe não sejam os “revolucionários” da nova união estável, “each one in your side”.
    Ao invés de “SISTEMA”, seria um casamento CASUAL, quando sentissem vontades de transar ou dormir de conchinha, hahah é só pular um na cama do outro. Afinal, pra que existe casamento né?

    Resposta

  24. Priscila
    jun 08, 2011 @ 09:56:11

    Meu, quero me “casar” com vocês…
    Tudo que eu mais desejo na minha vida é liberdade, sucesso na minha carreira e um apartamento todo meu, com minhas coisas, do meu jeito.. e isso não quer dizer que eu quero ser foreveralone.
    Super apoio casais que vivem em casas separadas…
    Meus pais estão vivendo em casas separadas agora, mas ainda são casados..não por que elees apoiam a idéia, mas fica mais perto da escolinha que minha mãe é dona e não querem se desfazer da casa onde meu pai tá morando..acho bárbaro!
    Imagina, é claro que é ótimo dormir com o namorado e tal.. mas isso não é impossível em casas separadas, só a diferença é quando tiver cansado ou meio enjoado, querendo um tempo sozinho, vai pra casa..e faz suas coisas. As pessoas são muito dependentes e acham que isso é uma ofensa, mas nada mais é do que uma vontade humana normal.. Se as vezes enjoamos de familiares e amigos, porque do namorado não?!
    Adorei, beijos!!

    Resposta

  25. EDUARDO
    jun 08, 2011 @ 14:03:29

    PERFEITO !! QUERO FICAR NA CAVERNA !!

    Resposta

  26. donluidi
    jun 08, 2011 @ 14:09:07

    Na minha humilde opinião, o correto seria um meio-termo. Concordo que ver a pessoa todo o santo dia acaba criando uma rotina que pode desgastar a relação, também concordo que ter um cobertor de orelha é muito bom (candidatas?). Na vida moderna, com os dois trabalhando, apenas se vendo à noite ou apenas no final de semana, sempre vão ter assunto pra conversar e surpresas para aprontar (rs). Outra coisa, você pode ter um casamento tradicional desde que você dê liberdade ao seu parceiro(a), morando junto ou em casas separadas, o que é premissa fundamental é o respeito e a cumplicidade pelo outro, querer fazer do outro uma pessoa melhor…

    Resposta

  27. Mari
    jun 08, 2011 @ 15:36:02

    Discordo de certos pontos do texto, até pq eu passei pela situação de morar junto por uma semana e já queria matar o meu namorado por simples falta de conversa. Terminamos pq ele voltar a morar junto e eu não. Passado 2 semanas, com muita conversa e sinceridade, a gente se acertou, e impôs regras no morar juntos, do mesmo modo que se você vai dividir o ape com mais um amigo, precisa-se de regras, divisão de tarefas bem definidas e um cantinho na casa reservado para cada um, então sempre que eu vou pro meu canto, ele não pode invadir, e eu não posso invadir o canto dele. Quando queremos fazer algo diferente, combinamos antecipadamente, pra ninguém ficar chateado se o outro esta cansado ou não ta muito afim de papo.
    O importante é que você pode evitar a rotina, e manter a individualidade morando juntos. Basta comunicação e respeito.

    Resposta

    • casalsemvergonha
      jun 08, 2011 @ 15:43:08

      Mari,

      Acho que esses acordos no início são lindos na teoria, mas quando vamos pra prática a coisa muda um pouco. Não é possível prever como vamos nos sentir no futuro em relação a esses acordos.
      E acho que é uma ilusão muito comum na cabeça das pessoas, essa de evitar a rotina – COMO FAZ? Vivemos numa rotina, não tem como fugir disso. Acho que o grande desafio aí é aprender como fazer da rotina a nossa aliada.

      Beijos

      Resposta

  28. LEANDRO TADEU
    jun 08, 2011 @ 16:16:57

    Concordo com a matéria! Para mim o casamento nos seus moldes de hoje é uma instituição falida, pois hoje vivemos em uma sociedade muito individualista, onde é muito difícil você ceder o seu espaço ou a sua liberdade, pois o casamento é um pouco disso, que por mais que você ame alguém tem certas horas do dia que você quer ficar sozinho no seu espaço, acho boa a idéia de cada um ter o seu apartamento. as pessoas que não concordam e que já vivem junto, com certeza dariam de tudo para ter na casa delas aquele quartinho que só ela pode entrar o seu “canto de relaxamento”.

    Resposta

  29. Izabela Pizzini
    jun 08, 2011 @ 16:30:58

    realmente o fato é enjoar muito rapido das coisas
    vamos combina que aquele amor da epoca dos meu avôs ja nao existe mais =[
    Aquele romantismo dos homens ( a pesar que os homens naquela epoca ja eram safadões:p ), aquela virtude das mulheres, poxa eu olho para os casais q passeiam pelo parque ( aquele cabelo branquinho parte de bons momentos que os dois ja passaram,lembranças, saudades e muito amor) de maos dadas ou mesmo um se apoiando no outro rsrs mas o romantismo a parceria prevalece, e comparo com minha vida se fosse eu ali seria eu de um lado eo cara de outro cada um pensando em uma coisa mesmo se estivessemos convesando,cada um com seus problemas, e o pior romantismo… romantismo? – pra que romantismo voçê ja paro pra pensar em quantos problemas eu tenho? falta de romantismo é o menor dele!
    * concerteza seria o que eu ouviria ( eu e muitas pessoas isso nao é um problema meu e nem das mulheres muito menos só dos homens é de todos )
    O casamento só deveria acontecer com total certeza do que está fazendo,
    coisa que jamais teremos… mas se for pra casar e trair a pessoa pq estou enjoada de comer lasanha ou casar pra morar longe pra quem sabe talvez eu sinta saudade …. não é pra mim =[

    bjossss da chata da Iza aki que sempre esta no twitter no face e logico no blog tb rsrrsrrs
    bjo casal mais sem vergonha =]
    ah se precisarem de uma 3° pessoa ai ja sabem neh
    vergonha eu ja nasci sem rsrrs mas experiencia vem com o tempo rsrrsrs
    brincadeira casal bjos amores adoro os post de vcs
    bjo bjo

    Resposta

  30. Gabis
    jun 08, 2011 @ 16:39:56

    Discordo deste ponto de vista mas respeito… sou casada e acredito que casamento seja exatamente dividir o mesmo teto e aprender a conviver com alguém que você escolheu, que requer muito mais paciência e flexibilidade que com sua família.
    Acredito que quando um casal se empenha para que o casamento funcione, dormir separados ou ter “seu canto isolado” perde o sentido…claro que todos precisamos e devemos cultivar nossa individualidade, mas querer estar junto faz parte.

    Resposta

  31. Fabrízio
    jun 08, 2011 @ 16:51:24

    Um único trecho que acabou fazendo com que eu acabasse com meu noivado “as imposições de ter que conviver 100% do tempo com outra pessoa, acabam arruinando tudo”. Eu havia perdido minha individualidade, meus gostos, pra fazer o que ela queria. Quando me toquei disso, parei tudo!

    Gostei da idéia de viver relativamente separados, mantendo o contato.

    Bom, sou suspeito pra falar. Acho casamento uma besteira sem dimensão depois de toda essa minha experiência e posteriores análises e convivências.

    Resposta

  32. Livia
    jun 08, 2011 @ 17:11:19

    ahh achei uma graça este post.
    vocês desreveram exatamente o casamento dos meus pais.
    No início estranhei, mas do ponto de vista prático… é muito melhor tanto para eles quanto para nós filhos (somos em dois, a caçula e meu irmao mais velho) a respeito das contas no final do mês, não há briga… eles dividem todos os gastos como se morassem sobre o mesmo teto.
    Sempre tem um que pergunta como funciona…eu chamo de casamento pós moderno para casais inteligentes.

    Resposta

  33. Larissa
    jun 08, 2011 @ 19:24:47

    Olá casal!
    Este sem dúvida é um assunto delicado porque os costumes estão muito enraizados nas pessoas ainda.
    Casamento de hoje não tem, nem de longe, o mesmo propósito que tinha quando foi criado pela igreja católica.
    Concordo quando dizem que há uma falsa esperança de “garantir” que seja amado ou amada ao assinarem o contrato de casamento, mas entre outras coisas, estar casado sob um contrato não faz sentido. Porque a individualidade não for muito bem respeitada, o casamento de papel passado fica com a promessa de dar mais dores de cabeça no futuro, quando os dois decidirem separar por não aguentarem mais terem de renunciar suas vontades em prol do bem da relação.
    Eu costumo imaginar uma linha. Numa ponta está uma pessoa da relação, na outra ponta está a segunda pessoa e no meio está o amor, a relação em si. Quando mais próximos estamos do outro, menos estamos de nós mesmos e do amor em si, e quanto mais próximos estamos de nós, menos próximos ficamos da outra pessoa e do amor em si. Em outras palavras, a busca eterna pelo equilíbrio. Mas como equilibrar-se com as preocupações do dia-a-dia, dos filhos se houve, do marido ou mulher carente e ainda aguentar todas as manias do outro que nos irritam ? Quão compreensivos devemos ser e se essa compreensão é ou não maior do que a vontade de estarem juntos, ou até mesmo, se é mais vontade de estar junto do que medo de estar sozinho.
    São muitas questões a serem pensadas e estudadas individualmente pra cada casal, mas eu acredito que morar junto seja um desafio a mais na relação, que pode custar um divórcio. Acredito que o relacionamento já é bem complexo pra termos que criar mais algum confronto.
    Apoio a ideia de morar separado, à favor da individualidade que só é valorizada, na maioria das vezes, depois que casais se separam e dizem ter sido cegos durante 14 anos, por exemplo. Prevenir do que remediar.
    =* beijo

    Resposta

  34. Amanda
    jun 08, 2011 @ 20:34:57

    Casal sem vergonha, vocês estão precisando é de criar um pouco de vergonha na cara ou seus pais nao ensinaram nada pra vocês. Cadê os princípios de uma família? Vocês são imaturos, desocupados, aproveite o tempo de vocês para estudar, buscar uma boa ocupacao no mercado de trabalho, já que são jovens e bonitos. E pra vc mocinha: sabe o que o futuro reserva acompanhando as ideias desse louco? vai ficar velha, feia, usada na rede social e diante de todos que a conhece. A mulher aos 40 anos ja esta coroa e o homem nessa idade é um jovem, cuidado com essas teorias maluca desse rapaz.. Va se quiser casar ter o seu lar sua casa e construir a sua familia que e uma estrutura que DEUS deixou para todos nos. Amar, dividir a cama o mesmo
    teto os sentimentos, chorar e sorrir juntos faz parte de um casal que AMA. Não perca seu tempo com essas coisas e nao queira mudar o que o pai eterno deixou para todos nós.

    LEMBRE-SE : Os japoneses fazem todas as tecnologias em questão de segundos, só não fizeram um controle e nem inventaram uma tecnologia que pára uma onda de dez metros de altura, então não queira querer MUDAR!

    Resposta

  35. Manu M.
    jun 08, 2011 @ 21:05:55

    Nossaaa, eu sinceramente nunca tinha pensado sobre essa brilhante ideia de viver casados mas em casas diferentes, porém proximas! Ideia espetacular! Como disseram, preserva nossas intimidades e há outro problema frequente: a hora das contas para pagar.. As bagunças, as manias.. E a questao da saudade! Ameiii

    Resposta

  36. Ethel
    jun 08, 2011 @ 22:53:15

    Querida Ana, não posso lhe impor regras de como fazer dar certo a sua convivência com seu namorado .Mas gostaria muito que desse certo pra você, tanto qnt dá pra mim.Estou casada há 15 anos;fomos morar juntos qnd eu tinha 16 e com 17 resolvemos casar,oficializar e celebrar.Fui terminar de estudar e me profissionalizar depois de casada,ainda não temos filhos.Há cerca de 4 anos resolvemos montar um negócio juntos. Saímos cedo p/ trabalhar, almoçamos juntos, e a noite ainda vamos os dois JUNTOS p/ academia.Posso falar por mim e por ele que para nós funciona super bem.Lógico que temos nossos momentos separados, vou pro salão, ao shopping e reuniões com amigas, e ele tem o futebol , bar e amigos como todo casal normal.Ele me ajuda nas tarefas domésticas e eu o ajudo a lavar o carro.Passamos 24hs do dia juntos e nos beijamos e nos abraçamos como se ainda fossemos um casal no começo do relacionamento.Qnd saímos separados ainda sentimos saudades e vontade de voltar pra casa e ficarmos agarradinhos.O casamento nada mais é que conseguir transformar o amor em respeito e acima de td ter BOM HUMOR. É , acho que bom humor é a palavra chave do meu casamento.Nós ainda rimos muito juntos e principalmente um do outro.Não quero passar para ninguém a idéia de que seja perfeito, mesmo que eu considere isto; pq realmente para algumas pessoas é difícil conviver tanto tempo com uma pessoa ao lado em momentos de dificuldades e aprovações que a vida nos impõe.Mas são nesses momentos da vida que aprendemos que amar é viver respeitando,perdoando e admirando a pessoa que você escolheu pra dividir a sua vida.Poderia fazer um longo texto sobre os benefícios do casamento e do ‘saber conviver’, porem vou terminar dizendo uma coisa que escutei do meu marido essa semana e que poderia passar despercebido por mim, mas acho que é este tipo de atitude que faz valer a pena, “Estávamos com um grupo de casais aqui em casa , e lá pelas tantas os homens estavam combinando um churrasco pra assistir um jogo que não me recordo qual, no meio da conversa um amigo disse que seria um churrasco só para homens e meu marido(sem saber q eu estava ouvindo) disse então que não iria pq não gostava de sair sem mim e que final de semana é pra estar com a família no caso EU e ELE.” É uma coisinha besta desta que ainda me emociona, e são esses pequenos detalhes que fazem a diferença.Acredito que um casamento não termina por uma grande briga. Ele termina por pequenas coisas do cotidiano que não são respeitadas, conversadas, e esclarecidas.Não gostamos de discutir a relação, não temos nenhum tipo de frescura, mas temos a certeza que nos completamos e que jamais conseguiríamos conviver em tetos separados.

    * Acho que é o primeiro post do CSV que eu discordo, e poderia passar horas dando motivos burocráticos e sentimentais para justificar a minha escolha, mas acho que é pra isso mesmo que serve o blog e as opiniões de cada um, justamente para que possamos dividir nossas experiências e respeitarmos o modo de vida escolhido por cada um.

    Um bjÃO Ana, e tbm ao casal SV.

    Resposta

  37. Carol
    jun 09, 2011 @ 00:16:32

    Esse é um assunto que gera mtos pontos de vista diferentes, mas eu entendi o que vcs quiseram colocar. Com certeza seria perfeito poder separar só o lado ruim de morar junto com uma pessoa, mas daí, como vcs mesmos disseram, a parte dos filhos ficaria complicada quando se decidisse tê-los, o lado ruim uma hora acaba invadindo o bom. E quando ficarem velhinhos? Tentar viver sozinhos seria terrível e juntos seria pior ainda…

    Eu moro com a minha mãe e a minha irmã e a convivência é muito complicada na parte do individualismo… eu fico pensando.. acho que antigamente as pessoas casavam cedo pra fugir da convivência diária da família (antigamente deveria ser bem pior)… mas tb antigamente a gente não tinha a oportunidade de morar sozinho… Meu vô pelo menos jamais permitiria que a minha mãe saísse de casa se não fosse pra casar! Hoje é diferente, isso é possível e casar seria ter que retornar à uma convivência que quem já mora sozinho já se desacostumou. Mas há quem goste de morar sozinho, morar com uma amiga, com 20 amigas ou 20 familiares… e do meu ponto de vista, todos têm seus pontos negativos e positivos.

    A questão é: saber conviver com a outra pessoa, respeitar o espaço dela. Conhecê-la antes de casar acho que é o principal. Eu prefiro imputar a causa das inúmeras separações à falta de preparo para um casamento. Morar junto não é brincar de boneca e acho que as pessoas acabam se esquecendo disso.

    Resposta

  38. naty
    jun 09, 2011 @ 01:21:18

    vocês, o casal sem vergonha, não são casados? moram em casas separadas?
    só a título de curiosidade.

    na minha opnião pode-se conseguir dividir o mesmo teto e ainda assim cada um ter sua individualidade, basta saber um respeitar o espaço do outro [o que já foi dito por muita gente].
    acredito que casamento é aprendizado, se divorciou, é porque não aprendeu a conviver com alguém, ou porque, a pessoa não combina com você.
    porque é aquela velha frase… “quando namora é uma coisa, quando casa é outra”…
    e uma coisa que minha mãe sempre disse… “quando você namora, os defeitos são pequenos, além de estar apaixonada, você convive com os defeitos pouco tempo… quando você casa, eles vão estar ali presente, todos os dias… por isso eu digo que primeiro tem que amar os defeitos da pessoa, para depois amar suas qualidades.”

    creio que os divorcios aumentaram, porque as pessoas hoje em dia casam muito rápido, não pensam para casar, não planejam direito, casam no momento da paixão e paixão cega, além do que, também acaba.

    acho que é isso.

    Resposta

  39. naty
    jun 09, 2011 @ 01:22:25

    p.s.: casar é compartilhar coisas boas e as RUINS do parceiro.
    incluindo seus defeitos e manias de fazer a barba e sujar a pia, ou largar a tampa da bacia levantada! haha.

    Resposta

  40. Lorena
    jun 09, 2011 @ 03:51:36

    EU CONCORDO. Acho que é porque sou um pouco anti-social e preciso muitas vezes ficar sozinha, também não abro mão da minha privacidade. Já até pensei nessa ideia, o difícil é convencer meu namorado.

    Resposta

  41. Andréa
    jun 09, 2011 @ 04:29:33

    Acho que o casamento, culturamente falando, é o termômetro da mulher “realizada” ou não… Já fui casada por 6 anos e tudo foi cronometricamente planejado, do namoro aos 3 anos de noivado, do apartamento até… o divórcio. O amor acabou, essa verdade não foi suficiente nem para a juíza, quanto mais para a família.
    É, tive que conviver com o rótulo de mulher fracassada perante minha família e minha vizinhança. Até superar o pós-divórcio e levantar a cabeça.
    Hoje tenho um relacionamento bacana que já dura 3 anos, eu na minha casa, as coisas dele na casa dele… Os dois na mesma cama! Compartilhamos ótimos e péssimos momentos, juntos. O amor parece que cada dia se multiplica um pouquinho.
    Hoje penso diferente, talvez se tivesse começado a conviver aos pouquinhos com meu ex eu tivesse tido um happy end… Ou não!
    O importante é que hoje sou feliz , bem amada, com minha individualidade respeitada…
    E sem precisar cuidar das roupas dele! rs

    Resposta

  42. Michelle Sefara
    jun 09, 2011 @ 04:46:24

    Sempre tive um amigo que fez esse tipo de comentário.
    “Quando me casar vou morar separado!! Cada um com suas coisa, será muito melhor!”
    Eu pensava. _Então porquê casar? Nunca consegui desvincular casamento desse padrão tradicional como o da vovo. O principal do casamento/namoro/noivados e qualquer tipo de relacionamento é o está disposto, a mudar, a melhorar e sempre inovar. Quem sabe poderá ser um novo modelo de familia, um mais novo… Já temos tantos. É isso é positivo já que, a felicidade não é uma receita de bolo, o que servirá para mim, não servirá pra você… O dificil será acostumar-se com isso, apesar de falamos tanto nessa liberdade, e em tantas opções que temos… de relacionamento. No fim do dia muitas namoradas ainda se aborrecem se o namorado não liga, já escutei até amiga minha super moderna e tranqüila falar: _Ele não me ligou o dia todo, esqueceu que tem namorada! Então liguei pra ele é disse, _Só tó te ligando pra te lembrar que você tem namorada!! E por ai vai… O importante não é somente a escolha é saber se vc dará conta de suas tantas vantagens e muitas mais desvantagens!

    Resposta

  43. Luisa
    jun 10, 2011 @ 01:56:03

    Bom, a grande questão não é casar (sem papel ou com papel) e ir morar junto é saber a hora de fazer isso, não é só porque você ama que você precisa morar e casar as pessoas precisam aprender a hora de fazer isso. Tem gente que tem 1 mês de namoro e casa, oras, todos sabem que 1 mês de namoro é o mês mais louco, alucinante de todos! Ai quando chega na fase de crisezinha viram que não é bem assim e não se conhecem. Ou o casal tem 4 anos de namoro, mas nenhum dos dois tem estabilidade financeira ai casam e bom…todo mundo sabe o final. Ou tá tudo certo tem milhões de anos de namoro, os dois tem grana e podem se sustentar mas não era a hora. Quando o casal se une na hora certa, você pode ter certeza que não é naaaaada disso de individualismo que vai trazer o divórcio são outros poréns normais da modernindade rs Morar separado não garante love forever tbm não queridos!
    Acho válido se acham que esse tipo de casamento é o melhor pro casal, e falar seus pontos fortes e FRACOS, mas pelo amor de santo God, não me fala que morar junto traz o divórcio só pq estão morando juntos.

    Beijos

    Resposta

  44. Raphael Barros Dorneles
    jun 10, 2011 @ 09:37:29

    O casamento historicamente serviu como um meio de opressão de jovens, normalmente para a mulher. Amor não era nem considerado um motivo, casamento era um arranjo para unir famílias para ganhar terras, riquezas, poder, etc.

    Depois que a igreja assumiu o poder, ainda continuou servindo para manter a mulher confinada o âmbito privado da vida, onde ela poderia manter ela e a família intocadas pelas barbaridades como sexo livre, fora do matrimônio e minissaias.

    Eu vejo que hoje em dia, é um meio de forçar pessoas a viverem juntas, por mais que não queiram mais, por medo de ficarem sozinhas. Não acho que seja individualismo. Diria que aperfeiçoamento pessoal. Morar sozinho é importantíssimo para uma pessoa aprender a sobreviver por si mesmo (muitas das coisas que estão nos posts sobre COISAS QUE ELE/A TEM QUE SABER) e se tornar uma pessoa melhor, poxa. Yoga e outras filosofias de auto-aperfeiçoamento são individuais, você melhora a si mesmo, alguém realmente acha que são coisas ruins??? Afinal de contas, o melhor jeito de você ensinar uma pessoa é pelo exemplo. Individualismo é manter alguém forçadamente perto de você só porque você “precisa”, isso sim é egoísmo.

    A palestra do Dr. Gikovati e esse post mostra como a chave para um relacionamento dar certo é que as pessoas tenham a capacidade de serem felizes COM ELAS MESMAS, muito mais que atrelar sua felicidade à existência de outra pessoa. Caso uma pessoa não consiga ser feliz morando sozinha, também não o será morando junta. Uma hora alguém vai estourar. Caso a pessoa m]ao atinja um nível de satisfação pessoal, coisas como carência, ciúme, pressão social e necessidades financeiras que levarão às pessoas a se juntarem.

    Morar sozinho significa que a pessoa é resolvida? Não. Pode atrapalhar a prática de tolerar os defeitos dos outros? Pode. Pode atrapalhar criação de filho? Pode. Mas eu apoio por ser uma quebra de paradigma do modelo tradicional de relacionamento e da sociedade EGOÍSTA que vivemos. As pessoas morrem sozinhas não porque não casaram, mas porque acabaram se isolando dos outros, família, amigos com o tempo. Tem um monte de velhinhos aí se divertindo com os amigos! É assim que tem que ser!

    Resposta

  45. Carolina
    jun 15, 2011 @ 14:19:09

    Eu concordo muito com a idéia, inclusive acho que se eum dia eu casar, tem que ser nesses moldes ou não vai funcionar. Eu até senti um certo alívio ao ler esse artigo pq toda vez que comentava com amigos que queria esse molde de relacionamento era taxada de maluca, então é bom saber que não estou só!! Rsrsrs!!
    Acredito que o casamento não é uma instituição falida, acho que pode funcionar e muito!! O que está falido é o modo de encarar isso, a maneira de pensar que qdo duas pessoas se ama, tem que se tornar uma só. Não tem!!! Ainda são duas pessoas diferentes, cada uma com seu gsoto, seu estilo, sua individualidade. pq eu tenho que adotar o nome do cara? Pq eu tenho que dividir o mesmo quarto, o mesmo armário, o mesmo banheiro? Esse pensamento de dois que tem que se tornar um é retrógrado e é o que faz o casamento não funcionar.
    Então, se um dia eu casar, vou, pelo menos, querer meu próprio quarto e meu próprio banheiro. Acho que é o único jeito de funcionar pra mim. Abraços a todos, amei o blog!!![

    Resposta

  46. Julia
    jun 17, 2011 @ 21:15:12

    no meu ponto de vista, isso depende da maturidade dos dois.é preciso ceder, é preciso modificar muitas coisas para o casamento, ou ‘juntar’ os trapos. (tudo mesma coisa).
    No meu caso, não deu, e não esta dando muito certo não. Mas isso por que meu parceiro não respeita minha privacidade, é espaçoso e não ajuda nas obrigações domésticas. Aí não tem Santo que ajude. Mas, não desistirei da idéia de um casamento feliz não, acredito que com uma pessoa madura e disposta a ceder certas coisas tudo dá certo, até pq existe o lado bom também, sempre é bom lembrar!

    Resposta

  47. Nierika Sanchez
    jun 21, 2011 @ 00:30:59

    Eu sou super a favor de cada um viver no seu quadrado. Acho que cada um deve buscar aquilo que melhor atende as suas necessidades e convicções, sem ficar se prendendo a padrões pré-estabelecidos. Eu gosto de ter o meu canto, priorizo e valorizo muito a minha individualidade; não quero dividir tudo e muito menos me transformar em um só com o meu parceiro. Acredito que o excesso de intimidade prejudica o romance, que o casamento é uma espécie de confinamento do amor. Você o coloca numa “caixa” e espera que ele cresça.
    Eu não quero ter filhos, não acredito que toda mulher nasceu para ser mãe, todos fazemos nossas próprias escolhas; e eu escolhi namorar sem fim e sem filhos. =D

    Resposta

  48. Jackie
    jun 29, 2011 @ 20:55:12

    Eu sou noiva, estamos juntos há 3 anos e moramos juntos um pouco menos que isso… Eu acho maravilhoso… Nosso relacionamento ficou muito melhor depois que passamos a dividir o mesmo teto…
    Não que seja o certo, mas para nós é perfeito assim. Hoje não sei mais dormir sem ele… rsrsrs…
    Acredito que funcione também para algumas pessoas morar cada um em seu canto, não é meu caso… O jeito é cada um saber exatamente que tipo de relacionamento quer e encontrar alguém compatível!

    Resposta

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: