Tentando Entender Porque Traimos

Fomos  convidados pela Discovery Home & Health para assisitir uma palestra do Dr. Flávio Gikovate sobre o tema “Por que traímos?”, pra embalar a estréia de uma nova série no canal chamada “Traidores”.

Sempre quis entender mais a fundo esse fenômeno que vivemos desde sempre, e que não parece ter um fim próximo – a traição. Homens, mulheres, gays, heteros, todos passam por isso. Seja no papel de vítima ou de culpado, todo mundo já se viu nessa situação. E se ainda não aconteceu com você, há uma grande probabilidade de viver isso em algum momento da vida. Dr. Flávio clareou muito as idéias sobre o tema e vamos dividir nossas conclusões com vocês.

SOBRE EGOÍSTAS E GENEROSOS

Existem dois tipos de pessoas no mundo, os egoístas e os generosos. Antes de pensarmos nos tipos de traição,  aprender a identificar em qual categoria você e a pessoa amada se enquadram, pode ser a chave para entendermos muitas questões dos relacionamentos.

  • Egoístas

– Aquele indivíduo que acha que a coisa mais importante do mundo é seu umbigo.

– Não conseguem suportar bem o “não”.

– Possuem pouco ou nenhum remorso e culpa e se sentirem muita vontade de fazer alguma coisa, vão fazer, já que não possuem freio moral interno.

Não amam profundamente ninguém e têm um profundo medo do sofrimento, daí um motivo pelo qual não se entregam de verdade em nenhuma relação. Não gostam de confiar sua felicidade na mão de outro.

– Geralmente são pessoas inteligentes, agradáveis, atraentes, mas pouco confiáveis. Muitos são classificados como “cafajestes”, o que, impressionantemente, atrai muitas mulheres – principalmente, as que gostam de viver perigosamente.

– Em média, 50% da população se encaixa nessa  categoria.

  • Generosos

– Os generosos são mais discretos, gostam de panos quentes e sentem culpa demais. É o culpado pela existência do egoísta, porque reforça essa situação.

– Se preocupam demais em não causar sofrimento ao outro. Possuem desejos, assim como os egoístas, mas os reprime.

– Não gostam de mentiras e nem de histórias ilusórias.

– Se dão uma escapada, geralmente é em situações em que podem ficar mais invisíveis, como em viagens de negócios.

TIPOS DE INFIDELIDADE

  • Sexual

– Aquela que acontece por motivações única e exclusivamente físicas.

É mais comum nos homens, pois eles são muito mais visuais do que as mulheres. Pensando assim, dá pra entender porque a tal história de que “pra homem, qualquer rabo de saia vale” perdura até os dias de hoje. O desejo masculino por outra mulher, que não a oficialmente amada, é praticamente universal.

A mulher, diferente dos homens, gosta de ser desejada e admirada, daí as longas horas gastas em frente ao espelho. As mulheres se divertem em provocar – vaidade pra elas, é um prazer erótico. Os homens bem que tentam, mas não conseguem chegar nesse patamar das mulheres. Homem bonito tem valor, mas não desperta tanto desejo. Os que se esforçam muito pra exaltar a beleza, acabam chamando mais atenção de outros homens (justamente por causa da história de serem seres visuais).

  • Sentimental

– Traições sentimentais são mais graves e muito mais difíceis. Essas geralmente acontecem por causa de frustrações maiores na relação e os personagens são relevantes, diferente do cara que trai com uma prostituta ou com uma mulher X em uma balada.

Casamentos desgastados são o exemplo clássico. Como muito sabiamente pontuou Flávio Gikovate, “filhos e sexo nao combinam”. O casamento começa a virar rotina, preocupações chegam, o diálogo acaba e, consequentemente, o sexo passa a ser coisa rara de se ver. A parte que se sente mais prejudicada e infeliz, vai buscar o complemento na rua.

– O mais curioso é que, os traídos, quando descobrem, geralmente pedem pra voltar – já que percebem que tem quem queira aquele que a pessoa tanto rejeitou. Aí entramos na questão da vaidade e do ego. Ego ferido move montanhas. A vitima começa a lutar desesperadamente para arrumar relação.

Agora a pergunta: Dá pra perdoar? Dá pra confiar de novo?

Recuperar a confiança é uma coisa extremamente difícil pra gente. Fácil é perdoar e deixar tudo anotado na lista negra pra jogar de volta na cara na primeira oportunidade. Perdoar também exige uma auto-crítica muito sincera do traído em conseguir reconhecer se ele teve uma parcela de culpa, já que ninguém fica em uma relação infeliz sozinho.

Se você quer assitir a palestra do Dr. Flávio Gikovate na íntegra, clique aqui.

Anúncios

9 Comentários (+adicionar seu?)

  1. Carol
    jun 13, 2011 @ 06:17:01

    “já que ninguém fica em uma relação infeliz sozinho.”
    aaaah como eu queria que meu ex namorado soubesse disso!!!
    hahaha

    Responder

  2. Illyana Barbosa
    jun 13, 2011 @ 13:26:54

    massa. vocês fizeram um resumão do que foi falado na palestra. a minha sensação era que tinha muito mais pra ser falado, mas o tempo não permitiu. :/

    1h30 foi pouco, mas infelizmente, Gikovate não era Fidel Castro pra fazer mais de 20h de discurso sem cansar e poder abordar tudo nesse assunto de traição. x)

    Responder

  3. donluidi
    jun 13, 2011 @ 13:45:46

    Creio que o primeiro passo para uma relação sadia seja a conversa franca e aberta do casal, para entender as fantasias, aspirações e desejos do(a) parceiro(a). Parabéns pelo post

    Responder

  4. luana sales
    jun 13, 2011 @ 15:54:32

    Traição pra mim é assim, a partir do momento que você sente desejo e vontade de ter ou ficar com outra pessoa, é porque o sentimento ou relação já não são mais os mesmos, não engane você ou seu parceiro, não seja um(a) FDP seja sincero, sai da relação numa boa, converse com a pessoa e diz que as coisas já são mais como antes. Melhor que enganar e fazer a pessoa sofrer, porque descobrir #traição é bem tenso.

    e traição pra mim é desculpa esfarrapada; quando um não quer, dois não brigam!

    relacionamento = amor, parceria, amizade, confiança, muiiiiita muiiiita conversa e jogo aberto!

    e meninas, por favor: Não deixem seu relacionamento esfriar, na cama tudo pode meu bem, tudo é questão de combinar e deixar rolar ora, as vezes vale a pena ser uma pouco mais #SEMVERGONHA xD

    Responder

    • Bruno .
      jun 15, 2011 @ 07:00:58

      Discordo em um ponto:
      Desejo é desejo, sentimento é sentimento, são coisas paralelas.

      Claro que se o sentimento for forte, controla o desejo, mostra que não vale a pena…mas aí entra o egoísmo, se a pessoa faz tudo sem sentir culpa, por mais que ela realmente goste, o desejo vai acabar falando mais alto!!

      Responder

  5. mundovirgem
    jun 13, 2011 @ 20:58:35

    Traição física eu até entenderia, apesar de não aceitar muito bem, mas traição sentimental é sinal de que a relação já terminou, só esqueceram de avisar. =)
    Eu sou uma generosa com costumes egoistas, porque cansei de ser boba =* beijos

    Responder

  6. Leonora
    jun 15, 2011 @ 01:35:27

    Gostei muito do post, com exceção do clichê dito pelo Flávio Gikovate e repetido por vocês aqui, de que sexo e casamento não combinam. Ter filhos pode sim extrair um pouco ou muito o sexo da relação, mas também não pode. O casal pode descobrir formas de driblar a rotina e manter a relação sem haver a necessidade de buscar aquele tesão, aquela paixão pré-filhos, na rua. Acho que generalizações do tipo poderiam ser evitadas até porque, traição é um assunto muito complexo, com muitas possíveis vertentes que podem ser debatidas.

    Mas tirando isto, gostei muito do post (aliás, gosto muito do blog e dos vídeos de vocês, a iniciativa é fantástica).

    Responder

  7. Bruno .
    jun 15, 2011 @ 06:56:34

    Acho só que ninguém é 100% egoísta, ou 100% generoso, acho que todos temos de tudo um pouco, mas eu gosto da forma como o Gikovate coloca as coisas.

    Responder

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: