14 Coisas Que Você Não Deve Dizer Para Uma Mulher com Mais de 30


Tem homem que tem o dom de falar besteira. E quando o papo está direcionada para uma mulher de mais de 30, que já sabe o que quer da vida e não tem mais paciência pra papo furado, a situação fica ainda pior. O mais crítico é que é difícil saber de quem é a culpa: dos homens ou de algumas mulheres que fazem tudo por um elogio ou por um copo de vodca com energético, e que caem nessas conversas fiadas.

Para evitar que seu filme seja queimado com aquele mulherão que você está sondando há tempos, deixamos aqui um guia de coisas que você não deveria falar para uma mulher – principalmente se ela tem mais de 30.

FRASES QUE VÃO QUEIMAR O SEU FILME COM UMA MULHER COM MAIS DE 30

1. Mas você nunca se casou? Por quê? (Amigo, por que você acha que as pessoas tem que se casa? E se eu não quiser? Não posso ter o direito de querer apenas namorar, morar junto, ou dar pro cara e mandar ele dormir na casa dele?)

2Você não pretende ter filhos? (Se a resposta é negativa eles dizem de olhos arregalados: “Que absurdo” ou ainda pior: “Nossa, que moderninha você, hein)

3.  Como foi chegar nos 30? (Oi? Detalhe, tem homem de 40 que faz essas mesmas perguntas, como se eles tivessem 20)

4.  Eu gosto de mulheres com mais idade, são como um bom vinho. (Podia ter ido dormir sem essa)

5. E como você se sente com o seu relógio biológico? (Não dá…)

6Você deve se cuidar muito! (Coisa de quem só vive saindo com tribufus)

7. Quais lugares você frequenta? (Você passa a ser um OVNI para os homens quando eles te encontram na balada – com 35 anos, você deveria estar em casa, cozinhando.)

8. Mas você  mora com os seus pais? (Gente, a vida é difícil. Não tem problema nenhum em morar com os pais se tiver uma boa conviência e por questão de economia)

9. Vamos no show do Chiclete com Banana/ Carnafacul? (Nem amarrada!)

10Tenho camarote para o Skol Beats (Faça bom proveito, meu querido)

11. Não bebo cerveja, só uísque ou vodca com energético (Então me deixa aqui com a minha cervejinha e vai beber seu uísque pra lá.)

12. Fiquei muito louco ontem! (Frase típica do homem que gosta de enfatizar que é o maluco da night.)

13Essa eu pegava! (Por que alguns homens fazem questão de mostrar que comeriam até a Zezé Macedo?)

14Eu já namorei mulher que tem filho. (Ta, e daí? Parece que tem sarna ou qualquer outra doença contagiosa)

texto original de: @denisemolinaro

E você, tem mais sugestões para aumentar a lista? Deixe-as nos comentários!

Anúncios

Acabou! E agora? – Como Sobreviver a um Pé na Bunda


Mãe é um ser sábio. Me lembro quando, ainda um projeto de adolescente, corri pros braços dela pra chorar pitangas a cerca do meu primeiro pé na bunda. E ela, sabiamente disse – “Filha, tudo passa na vida. Ninguém morre de amor”. Na época pensei como toda adolescente que acha que os seus 14 anos  de vida lhe deram experiência suficiente pra saber mais do que o mundo: “Ela não sabe de nada. Não tem ideia de como estou sofrendo. Quero morrer.” A depressão durou algumas curtas semanas e logo já estava pronta para a próxima.

Depois do pé na bunda de estréia, vieram outros. E conforme você cresce e começa a viver relacionamentos reais e não estilo Malhação, a dor vem um pouco mais pesada também. Mas, hoje repito as palavras da matriarca – ninguém morre de amor. Pode perder uns quilinhos, faltar uns dias no trabalho, beber mais que o normal – mas morrer, nunca vi.

O pé na bunda dói tanto porque mexe na nossa casca de ferida – o ego. Se parar pra pensar, a gente sofre mais por termos sido dispensados, por imaginar que a outra pessoa vai ser feliz sem a nossa ilustre presença, do que pela falta da pessoa em si. É claro que a gente sente falta, mas o ser humano é uma criatura que se adapta em praticamente qualquer situação. No começo sente falta da companhia, como um amigo muito próximo que vai morar fora, mais depois de um tempo você já estabeleceu outra rotina e começa a se lembrar de como era sua vida antes. E percebe, que nem tudo está perdido.

Nesse momento, a fossa é necessária. É como a casquinha do machucado – dói, mas é o que recupera a ferida interna. Se permita chorar e escutar “ All by myself” no último volume – mas por um curto período de tempo. Depois, sacuda a poeira, dê uma chacoalhada em você mesmo e continue a sua vida. O mundo não para pra você sofrer.

O que eu não entendo, são pessoas que tomam um toco e ficam correndo atrás do ex que nem papparazzo atrás de artista global. Conseguiria entender se houvessem 10 pessoas no mundo – mas esse não é o caso. Se o fulano não te quer, você vai ter que aprender a viver com essa realidade: você não é a última bolacha do pacote. Deixe o outro ser feliz e vai correr atrás da sua felicidade também. Antes sozinha, do que comprometida por piedade.

Se você se esforçar pra continuar a sua vida e parar de se lamentar, de fuçar no facebook do fulano, de ficar lembrando só das coisas boas do relacionamento e ignorando os problemas, você vai ser recuperar rápido. Depois de um tempo, nem vai mais lembrar da dor que sentiu – só quando senti-la de novo. Afinal, se quer amor, tem que estar preparada para a dor que pode vir junto. Já dizia o ditado:  “se não sabe brincar, não desce pro play.”

ps: pras horas mais tensas, aperte o play:

*Sugestão de tema: @steephaanies

Tem Amor Pra Todo Mundo? – Uma Reflexão Sobre o Poliamor


A palavra poliamor – mesmo tendo um significado lindo de “múltiplos amores” – é, para muitos, sinônimo de swing, putaria, poligamia. Mas seu significado real nada tem a ver com isso. Poliamor é um tipo de relação interpessoal que recusa o modelo monogâmico, culturalmente tradicional na nossa sociedade, defendendo a possibilidade responsável de relações íntimas e profundas com várias pessoas ao mesmo tempo. Ou seja, você não só transa com outras pessoas, mas desenvolve outras relações completas com elas.

Você provavelmente está nesse momento pensando: Isso não existe, é loucura. Mas antes de julgarmos o conceito nos baseando em noções estereotipadas do assunto, vale dar uma olhada mais a fundo na questão.

AMOR COMO FONTE RENOVÁVEL

Você tem amigos que ama, certo? Não somente um, mas alguns. Tem também sua família – que pode ser bem grande: primos, tios, irmãos, pais, filhos – todos muito amados. E além de tudo tem o maridão, que recebe também uma parcela generosa de amor.

Se conseguimos amar tanta gente simultaneamente, por que o amor romântico tem que ser dado pra somente uma pessoa? Essa foi a sacada dos seguidores do poliamor. Eles entenderam que não dá pra gastar amor que nem dinheiro, é um sentimento infinito, que nem todos os outros.

E o Poliamor se diferencia do relacionamento aberto, porque não envolve somente sexo – as pessoas se permitem manter relações profundas com outras pessoas. O sexo passa a ser mais uma forma de diversão e intimidade, caso contrário, seria apenas mais um grupo de amigos.

Seria então uma forma educada de trair? Traição implica em mentira, em quebra de acordos. Dentro do poliamor, todo mundo sabe de tudo o que está rolando e todo mundo está de acordo e feliz da vida. A fidelidade aí perde a noção de posse do outro, do corpo ou do “coração” – a fidelidade assume o único e exclusivo sentido de confiança mútua.

MAS EU ME MORDO DE CIÚMES!

As pessoas que seguem esse estilo de vida afirmam que sentem, sim, ciúmes. Aliás a ideia de eliminar ciúmes da vida é algo utópico – é como querer eliminar pra sempre a raiva ou ansiedade. Sentimentos sempre vão existir e martelar na nossa cabeça, cabe à nós decidirmos como vamos lidar com eles.

E pra adotar o poliamor como forma de relacionamento, as pessoas envolvidas têm que estar muito cientes da existência do ciúme para saber exatamente como lidar com esse diabinho. Mas mesmo em relações monogâmicas, o ciúme só domina os mais inseguros, já que nao tem nada a ver com a outra pessoa – ciúme é um problema seu com você mesmo.

MAIS FÁCIL FALAR DO QUE FAZER…

Nunca tinha me aprofundado no tema do Poliamor até escrever esse texto. Sabia o que era, mas tinha sempre o julgamento superficial de que isso é loucura. Pesquisando mais sobre o tema, descobri que essa é uma forma de vida adotada por muitas pessoas no mundo todo. E muitas pessoas vivem muito felizes assim, obrigada.

Acho a ideia ótima, até por ter minhas dúvidas sobre a questão de ficar com uma só pessoa pro resto da vida. Mas ainda não me convenci que relacionamentos múltiplos podem satisfazer a todos os envolvidos com a mesma intensidade do que em uma relação de exclusividade. Acho que por mais que seja uma experiência muito rica pro indivíduo em si, o crescimento do relacionamento é prejudicado. Dividir amor pode ser lindo, mas dividir energia pode acabar trazendo conseqüências não tão agradáveis.

E você, conseguiria se adaptar a esse modelo de relacionamento? Pra te inspirar, te deixamos com uma cena de Vicky Cristina Barcelona – como você reagiria em uma situação como essa?

Para saber mais:

http://www.xeromag.com/fvpoly.html – Página muito completa, com FAQs acerca do Poliamor.

http://www.polyamorysociety.org – Um dos mais importantes e completos sites sobre o tema. Criado em 1992 por Jennifer Wesp, reúne uma vasta comunidade nos EUA e em todo o mundo.

http://movingtowardsecstasy.wordpress.com/ – Blog com relatos verdadeiros de um casal que vive o modelo de amores múltiplos.

20 Coisas que Mudam na Vida da Mulher Quando Ela Está Namorando


Leia também: 20 Coisas Que Mudam Na Vida do Homem Quando Ele Está Namorando

1. Ela se afasta das amigas e começa a fazer mais parte da galera do namorado.

2. Ela passa gastar menos dinheiro com lingerie, pois descobre que o namorado a acha mais sexy sem roupa alguma.

3. Ela começa a reparar na sessão masculina das lojas de roupas e às vezes compra mais roupas pra ele do que pra si mesma.

4. Ela passa a entender o significado de nomes como WE, Heavy Rain, Uncharted, Call of Duty, Doom e Gran Turismo.

5. Ela passa a dirigir muito menos do que dirigia quando era solteira.

6. Ela pode desfrutar dos prazeres do sexo e fazer tudo o que tem vontade na cama sem ficar se perguntando se o cara vai ligar no dia seguinte.

7. As baladas perdem metade da graça já que o quesito “flerte” automaticamente sai de cena.

8. Ela engorda se bobear, porque os programas envolvendo comida passam a fazer parte da sua rotina.

9. Ela sabe que sempre vai ter alguém pra colocar ela no carro ou na cama, sempre que rolar aqueles esporádicos porres homéricos.

10. A conta do celular triplica.

11. Ela gasta menos com balada e mais com viagens.

12. A depilação em dia passa a ser obrigatória e não somente para situações especiais.

13. Ela fica mais crítica com o parceiro – e cobra coisas que não cobrava quando ainda eram “ficantes”.

14. Ela passa a assistir mais programas esportivos – do futebol ao vale tudo – e descobre que alguns deles são incrivelmente interessantes.

15. Ela faz sexo com muito mais confiança, porque sabe com detalhes o que o cara gosta.

16. Os programas vespertinos acabam virando mais frequentes dos que os noturnos.

17. Ela começa a olhar os homens bonitos na rua mais como arquitetura do que como objeto de desejo.

18. Ela tem que ir duas vezes mais em programas de família – como se já não bastassem os seus, tem também os da família do namorado.

19. Ela fica menos desesperada e perfeccionista com aparência e começa a mostrar sua beleza natural.

20. Ela vai dispensar um barzinho com a galera vez ou outra pra ficar na cama de conchinha ganhando cafuné.

*colaboração especial @vahmachado

Nos ajude a deixar a lista maior! Deixe sugestões nos comentários!

Colunistas Sem Vergonha para o novo site Área H


Foi com muito prazer que aceitamos o convite de sermos colunistas de um novo portal na internet para homens inteligentes – o AreaH.

O portal Area H, é um novo projeto voltado para o público masculino, que trata de assuntos sobre relacionamentos, estilo, consumo, carreira, comportamento, lazer entre outros, com praticidade e bom humor, como todo homem adora. O site deles é o www.areah.com.br e o twitter é @portalareah

O Casal Sem Vergonha faz parte do time de colunistas ao lado de nomes como MV Bill, Priscila Nicolielo, Emílio Boechat, Alexandre Petillo, Felipe Valério, entre outros feras.

Confira nossa última coluna clicando aqui

Nosso amor dentro dos meus olhos – crônica


     (Esse é o texto de estréia de uma categoria nova no blog: Contos e Crônicas.)

Vou te contar, meu amor, porque te acho o homem mais interessante do mundo:

Primeiro, naturalmente, porque você tem esses olhos que não param de brilhar, e porque ainda não descobri se eles brilham incansavelmente ou se ficam mais brilhantes quando olham pra mim.

Depois, porque você tem essa boca tão macia que é só sua – e deliciosamente minha também nos últimos quinze meses. É uma boca que começa fininha em cima e que vai crescendo em baixo, numa combinação que me deixa maluca toda vez que a encosta em qualquer milímetro do meu corpo.

Tem também o seu cabelo que, de tão fino, insiste em cair no rosto, o que faz com que você fique inutilmente tentando deixá-lo pra cima. E nessa hora, eu aproveito pra sentir seu cabelo macio na minha mão, com a desculpa de que vou dar um jeito nele – o que nunca acontece. Nem com silicones mágicos. Sorte sua, que fica lindo desse jeito.

Depois tem a suas mãos, que tenho a impressão que estão sempre quentes. Quentes e grandes, e assim conseguem ter o que quiser de mim. Mão poderosas, com dedos igualmente poderosos, que me levam pra lugares que nem sei explicar.

Tem também o jeito que você me beija, que pode ser diferente dependendo das suas intenções. Tem aquele beijo que devora, que entra lá no fundo, que engole. Tem o beijo lento, que caminha por cada canto da minha boca, paciente, sem pressa. Tem até beijo no nariz, que é mais poderoso do que um “Te amo”.

Tem o jeito como você me olha quando entro no carro as sextas-feiras. Uma olhada com saudade, que sempre me lembra como é bom te encontrar de novo. Tem também aquelas vezes que te pego me olhando e que me divirto tentando imaginar as indecências que passam pela sua cabeça nessas horas.

Tem também a forma como você me enxerga – inédita e só sua. Uma forma engraçada porque muitas vezes mostra coisas que nem eu tinha visto. Uma forma que motiva, inspira, conforta e incomoda muitas vezes também – porque pega no íntimo, em coisas que são difíceis de cutucar, mas que você faz com maestria. Você me enxerga mais e melhor do que os outros.

Tem também o jeito que acende o cigarro e fala e mexe as mãos sem parar, principalmente quando está empolgado com mais uma das idéias brilhantes que surgem na sua cabeça. E o jeito que você fala do seu trabalho, dos seus sonhos, da nossa casa na montanha.

Tem o jeito que tira o sarro de mim quando fico com sono depois do segundo copo de vinho. E o jeito lindo que deita na cama depois de mim e me abraça gostoso, mesmo eu tendo te abandonado sozinho logo no começo da noite.

E também tem o jeito que dorme comigo. Tem o jeito que me abraça de conchinha ao mesmo tempo que encaixa todo o resto do corpo no meu, como um quebra-cabeça. E nessa hora, aproveito o silêncio pra sentir e escutar você pegando no sono e respirando na minha nuca.

Tem também as deliciosas e intermináveis horas que passamos de manhã na cama, que é o único jeito de me fazer gostar de ficar deitada quando acordo.

Tem também o jeito como vem me falar indecências no pé do ouvido,  com aquela voz que me deixa maluca só de escutar. E como, mais tarde, aplica tudo aquilo de disse, de um jeito só seu. E tem o jeito que aprendeu rápido demais como eu gosto de sentir prazer.

E, finalmente, mesmo podendo ficar aqui listando muitas outras coisas, tem o jeito como você me surpreende e me apaixona todos os dias, me trazendo a sensação de que a vida é boa, e linda, e apaixonante – como você.

                                                                                                                                                                                                   (por Jaque Barbosa)

*inspirado no texto incrível de Milly Lacombe, “Nosso jardim dentro dos meus olhos”.

*Se você tem algum conto ou crônica que gostaria de publicar sobre sexo, amor ou afins, envie para: oisemvergonha@gmail.com

Checklist: 25 Passos pra Fazer seu Relacionamento Durar


Se manter em um relacionamento longo é uma arte. Muitas pessoas nunca conseguiram isso na vida, outras terminaram sempre com a sensação de que fizeram algo de errado no meio do caminho.

Relacionamentos podem durar para sempre, com o mesmo nível de felicidade do início? Essa resposta ainda não temos – se souber, nos conte. É claro que não existe fórmula, mas reunimos uma lista de coisas que são essenciais quando se quer viver ao lado de uma outra pessoa, contando com a ajuda dos nossos leitores. Faça o seu checklist e descubra se está indo no caminho certo:

25 SEGREDOS DOS RELACIONAMENTOS LONGOS

1. Nunca corrija, critique ou dê broncas no outro em público. Deixe para fazer isso em casa, e somente quando for necessário.

2. Não tenham segredos – a verdade pode doer mais, mas a dor dura menos.

3. Na hora das brigas, cuidado com o que fala – algo dito com “cabeça quente” pode ser perdoado, mas não esquecido.

4. Se apaixonem todos os dias. Elogie. Conquiste. Ficar junto significa escolher aquela pessoa a cada dia.

5. Não esqueça datas importantes. Se tiver memória ruim, marque na agenda.

6. Se cuide como fazia no início. A concorrência é grande.

7. Preste sempre atenção no outro. É preciso reconhecer se há algo de errado apenas com um “oi”.

8. Nunca durmam brigados. Conversem até resolver ou até que o motivo da briga já não faça mais sentido.

9. Riam de si mesmos e não levem tudo tão a sério.

10. Nunca pense, nem por um segundo, que o outro te pertence. Lembre-se todos os dias da fragilidade das coisas na vida e nunca se esqueça que não é possível perder algo que não possua.

11. Seja tolerante e paciente. É um exercício diário.

12. Rotina faz parte da vida, mas a companhia precisa ser sempre mais importante do que o programa.

13. Cultive o tesão que sentem pelo outro. Traga coisas novas para o sexo. Não deixe que a preguiça seja maior que a vontade.

14. Respeite a individualidade do outro. Não permita que se tornem a mesma pessoa e que percam a identidade. Você vai querer cobrar isso mais tarde.

15. Crises são parte de todo relacionamento. Tire proveito e aprenda com elas.

16. Nunca levante a voz para o outro.

17. Se beijem – selinhos não são suficientes. Dê pelo menos um beijo apaixonado por dia.

18. Aceite que as pessoas não são perfeitas. E, quando for criticar o outro, lembre-se que já o conheceu assim.

19. Mantenham contas separadas no banco.

20. Cuidado com o ciúmes, pois ele é mestre em criar paranóias. Ciúme sempre existirá, mas você é quem decide o que fará com ele.

21. Tenham ambições e planos em comum.

22. Lembre-se e conheça bem as coisas que o outro gosta.

23. Exercite sua habilidade de fazer o outro feliz todos os dias. Momentos infelizes deixam marcas duradouras.

24. Supreeenda, sempre. Não é preciso uma data especial para mostrar o quanto se importa.

25. Faça um check up do seu relacionamento com a mesma freqüência que troca o óleo do seu carro. Se certifique que estão indo para a mesma direção.

E você? Acrescentaria ou tiraria algo da lista? Queremos ouvir opiniões!

Entradas Mais Antigas Anteriores

%d blogueiros gostam disto: